|

Começa hoje campanha nacional de vacinação dos idosos contra gripe

Começa hoje campanha nacional de vacinação dos idosos contra gripe

Começa hoje (25) em todo o país a campanha de vacinação do idoso contra gripe. A meta da secretaria Municipal de Saúde de Santa Bárbara é vacinar cerca de 80% de pessoas acima de 60 anos até o dia 13 de maio, quando a campanha será encerrada.

No ano passado, a administração conseguiu imunizar 2139 idosos, representando 82% de pessoas acima de 60 anos.

Nacional – No dia 30 de abril será comemorado o dia D da campanha nacional. Esta será a 13ª edição da Campanha, que foi iniciada em 1998. Na ocasião, todos os postos de saúde de Santa Bárbara estarão abertos das 8 às 17 horas. A vacina é aplicada gratuitamente.

Quem for receber a imunização precisa levar o cartão de vacina e um documento.

Além dos idosos, também receberão a vacina as gestantes, as crianças de seis meses a menores de dois anos e os trabalhadores de saúde.

Na ocasião, os postos de saúde estarão completando o cartão de vacina do idoso com a dose da Febre Amarela e dupla adulto (contra o tétano).

Vacina – A vacina contra a gripe diminui o risco de contrair a doença em até 90% dos casos e leva duas semanas para produzir efeito. Por ser um vírus que se modifica a cada estação, a vacina antigripal precisa ser reformulada anualmente, portanto deve ser tomada todos os anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina não causa gripe e só não podem tomá-la aqueles que têm um quadro raríssimo de alergia comprovada à proteína do ovo, uma vez que o medicamento é produzido em embriões de galinha. Também é contra-indicado aos que têm alergia ao timerosol, para aqueles que fizeram uso de corticóide por um longo período e em alta dosagem, ou que apresentaram problemas neurológicos em atividade – por exemplo, que sofreram derrame recentemente. Outra contra-indicação é para pessoas que já tiveram a síndrome de Guillain Barret (doença que ataca os nervos e paralisa os movimentos).

Pesquisam demonstraram que a vacinação foi associada a uma diminuição média de 27% no risco de hospitalização por pneumonia ou influenza no inverno e a uma redução de 48% no risco de morte por qualquer causa.

Deixe um comentário

*